Les Jasmin Basilic

Les Jasmin-Basilic é um grupo de canção francesa formado no começo de 2015, pela cantora e intérprete Lucia Zorzi. Atualmente a artista conta com a participação do acordeonista inglês Gabriel Walsh e do violonista brasileiro Flávio Nunes, de forma alternada, em duos, variando a instrumentação e sempre apresentando novos arranjos. O resultado desse encontro é uma singular e charmosa sonoridade, que propicia ao público uma atmosfera musical parisiense perfumada com a delicadeza do jasmin e a intensidade do basilic - manjericão em português.

O Les Jasmin-Basilic surgiu no formato “voz e violão”. Hoje, o projeto segue seu curso alternando na potência dos formatos “voz e acordeon” e “voz e violão manouche”, no ímpeto de continuar esse reviver da canção francesa em sua mais comovente e delicada sonoridade.

A atual parceria musical nasceu do encontro entre Lucia Zorzi e Gabriel Walsh durante uma apresentação de rua da antiga formação do Les Jasmin-Basilic, em março de 2016. Ambos viveram na França na região parisiense no mesmo período, mas só no Brasil se conheceram e iniciaram a parceria. Um mês mais tarde, Flávio passou a integrar o grupo, tendo conhecido Gabriel em Paris há alguns anos.

Em 2015, as comemorações do centenário de Édith Piaf inspiraram o duo a preparar um repertório especial e intimista em homenagem a esta que se tornou o maior nome da chanson française (eleita a 10ª mais importante personalidade francesa da história, à frente de Napoleão Bonaparte, Joana D’Arc e Luis XIV, em lista realizada pela BBC). Com sua voz e interpretação inconfundíveis, fez com que esse gênero musical se difundisse pelo mundo todo, conquistando admiradores e influenciando gerações inteiras de compositores e intérpretes - de sua época até os dias de hoje.

O nascimento do duo Les Jasmin-Basilic é um desdobramento abrasileirado dessa história, sendo impreterível a realização de uma homenagem em forma de agradecimento, dedicada à memória e obra de Piaf. Além de relembrar seus principais sucessos como “La vie en rose”, “L’Hymne à l’amour”, “La Foule”, “Millord” e “Non, Je ne regrette rien”, o repertório conta com outros importantes ícones contemporâneos à Piaf, como George Brassens, Yves Montand, Jacques Brel, Serge Gainsbourg e outros da atual chanson française, tais como Enzo Enzo, Pink Martini e Zaz. Influenciadas direta ou indiretamente por sua musicalidade, todas as canções escolhidas para esta apresentação foram compostas nesse período histórico delineado pelo centenário da “pequena pardal”, como era chamada no começo de sua carreira, ou ainda, “a alma de Paris”, Édith Piaf. O duo/trio também interpreta versões em francês de canções originalmente em português e em inglês.