Nadja Soares

Assim como o choro, o blues e o jazz têm, como forte característica, a improvisação – a habilidade de, simultaneamente, se produzir e interpretar melodias, ritmos ou vocalizações, dentro ou fora dos parâmetros harmônicos. Este “processo criativo”, espontâneo e informal, enfatiza a confluência estética dos gêneros choro e blues, eixo temático deste projeto, que visa a realização de um musical centrado em um roteiro conceitualmente elaborado, com temas instrumentais e cantados (resultado de ampla pesquisa musical). O Choro in Blues dá maior ênfase na obra de Pixinguinha, entretanto, o programa inclui choros e blues mais modernos de nosso cancioneiro popular, com destaque para obras de Edu Lobo, Chico Buarque, Francis Hime, Sueli Costa e Tom Jobim.

Para este musical, a cantora Nadja Soares é acompanhada pelo Sambália Trio, que possui uma formação fora do tradicional de um grupo de choro,   tendo  como convidado especial o clarinetista e saxofonista norte-americano John Berman que além de instrumentista e professor de jazz e blues, encantou-se com o choro brasileiro, especializando-se no gênero, com amplo reconhecimento de público e crítica.

Dividido em três blocos temáticos, o roteiro abrange correlações e diálogos entre o choro e o blues, com foco na improvisação, em um “jogo” criativo entre instrumentos e voz. O musical apresenta uma canção inédita; o blues “Narciso”, de Francis Hime e Cazuza, até hoje sem gravação, e interpretada por Nadja Soares pela primeira vez, ao vivo, para o público.